sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

poéticas



PoÉtica 7

a palavra escrita
é onde a solidão habita
o risco
tirá-la do silêncio
onde mora
desafio
nossa meta
concreta
ou abstrata
adaga
se afia na pedra
ou
se alimenta da mata
na precisão de um pássaro
que acorda
para o grande vôo
o tempo não para
o ser humano
que se esconde atrás dos panos
é falta de coragem
de mostrar a cara


PoÉtica 8

o poema
não é apenas
um ajuntamento de palavras
metáfora lambendo
o sal em tuas pernas
mar em profusão de espumas
a praia nos chamando
para o coito

dezoito vezes
gozei ontem  de amor e susto
com o leito transbordado
quando acordei em outra cama
e o poema
nem tinha começado



poética 10

não quero apenas a língua
que na poesia possibilita
a relação do poeta
com o seu ser amado
a musa

quero saber do tecido
da pele sob a blusa
onda a língua possa
passear  tranquila
além da poesia
que vier do ato

esse fato em ti procuro
no silêncio da palavra escrita
enquanto ainda não falo
ou grito
em teus ouvidos
o que na verdade sinto

e dói lá dentro
por não poder
estar no centro
do teu ser
agora

artur gomes



Nenhum comentário:

Postar um comentário